Follow by Email

quarta-feira, 22 de maio de 2013

A Integralidade do Ser Humano

Penso que todos os envolvidos com Educação deveriam refletir na máxima da promoção do desenvolvimento do ser humano. Nesse aspecto, o conceito de integralidade do ser humano é o referencial primordial de constituição de um caminho positivo a ser buscado. É a partir da percepção da ideia de integralidade que, em nossa plenitude, enxergamos a plenitude do outro; em Educação, mais do que em outra atividade, as referências de "um" e de "outro" são tão marcantes e dinâmicas. É preciso, então, entender quanto dessa integralidade está, conscientemente, exercitada na formação individual.
Por ser integral, o indivíduo (esse ser envolvido nas relações sociais) é constituído de uma diversidade de aspectos. Em um espaço pedagógico - essencialmente, um local de relações humanas e sociais -, a ideia de integralidade pode ser um pressuposto interessante (e emergente) para a discussão de uma melhor qualidade em Educação. Quanto da integralidade dos professores e dos alunos, só para ficar nos agentes mais diretos do fazer pedagógico, está considerada nos discursos que se fazem sobre Educação? Considera-se o professor integral ou aquele sujeito que deve "dar" aulas de Matemática, por exemplo? Considera-se o aluno integral ou a nota vermelha (ou azul, que seja!) a ilustrar o seu boletim?
Quando estivermos prontos para enxergarmos que o ser humano é constituído de minúcias, que perfazem sua totalidade - e daí pensarmos nas relações de mãos duplas e várias,  que acontecem nos espaços pedagógicos -, daremos um grande passo para redimensionar os papéis que exercemos para tornar positivo o ambiente escolar.